quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Senhor Bom Jesus de Iguape - 06 de agosto


Senhor Bom Jesus de Iguape

Comem. litúrgica 06 de agosto.

Também nesta data: Transfiguração do Senhor  -  Santos:  Felicíssimo, Máximo e Agapito 

A Igreja hoje comemora no dia 6 de agosto a Transfiguração de Nosso Senhor Jesus Cristo, data muito especial no Brasil, onde seus filhos também contemplam a face de Jesus pela insigne veneração ao Senhor Bom Jesus de Iguape.
A devoção ao Senhor Bom Jesus aqui no Brasil remonta ao ano de 1647, quando uma embarcação portuguesa,  oriunda de Portugal,  ao passar pela região costeira do Estado de Pernambuco, foi atacada pelos holandeses, considerando-se que nessa época vivia-se no país divisão e disputa exploratória destes com os portugueses e franceses.
A tripulação da embarcação que trazia com muita piedade a imagem do Senhor Bom Jesus temeu que os piratas a profanassem e, por isso, o comandante colocou-a numa caixa junto com algumas jarras de azeite, além de outros objetos religiosos, lançando-os ao mar. A caixa, que continha a aludida imagem, tomou direção ao sul pela ação das correntes marítimas.
Naquele mesmo ano,  precisamente no dia 02 de novembro,  Francisco Mesquita, morador da Praia da Juréia, pertencente a então Capitania de Itanhaém, mandou que dois índios se dirigissem para a Vila de Nossa Senhora da Conceição de Itanhaém. Os índios, ao passarem pela Praia do Una, avistaram a caixa lançada ao mar pelos portugueses em Pernambuco.  Trouxeram-na à margem, abriram-na e depararam-se com os potes de azeite e com a imagem do Senhor Jesus.  Foi quando decidiram colocá-la ao lado das jarras de azeite, porém, com o rosto voltado para o nascente, na direção de Itanhaém. E prosseguiram viagem. Ao  retornaram,  ao passarem novamente pelo local, perceberam que tudo estava como haviam deixado, salvo a imagem, cujo rosto agora estava virado para a direção oposta, ou seja, para o poente, na direção de Iguape. Diante disso,  decidiram voltar às pressas para o local de origem a fim de contar o que sucedera e, no dia seguinte retornaram ao local, onde moradores, tentando levar a imagem para Itanhaém, foram impossibilitados de fazê-lo, já que a estátua tornara-se incrivelmente pesada.
A intenção da comunidade, liderada por Jorge Serrano, inicialmente, era de levá-la para Vila de Nossa Senhora da Conceição, saliente pela influência  de ser a sede da Capitania  de Itanhaém.  Porém, o peso enorme da estátua logo fatigou os circunstantes. Estes, porém, perceberam, quando a carregavam para o lado oposto, ou seja, à vila de Iguape, a imagem tornava-se extremamente leve, absolutamente desproporcional ao peso anterior.  Compreendendo que se tratava de uma manifestação divina,  rumaram para a Vila de Iguape e, no meio do trajeto, decidiram parar num riacho a fim de remover o salitre da imagem do Bom Jesus para prepará-la adequadamente à sua chegada na Igreja de Nossa Senhora das Neves.  Esse riacho ficou, a partir desse dia, conhecido como “Fonte do Senhor” e conta-se que a pedra na qual foi fixada para banhá-la, cresce continuamente.
Dois séculos a imagem permaneceu nessa Igreja e, precisamente,  no dia 5 de agosto de 1856 (comemoração litúrgica de Nossa Senhora das Neves), em meio a grande festa e aclamação popular,  a imagem foi trasladada para a então inaugurada Igreja Matriz (obra iniciada em 1787), hoje Basílica do Senhor Bom Jesus de Iguape, onde permanece até os dias atuais.
Grandes milagres o Senhor concedeu aos fiéis e peregrinos, não demorando, já naqueles tempos remotos e especialmente hoje, que a devoção ao Senhor Bom Jesus de Iguape, marcada pelas constantes peregrinações,  atingisse envergadura nacional, entre o olhar materno da padroeira Nossa Senhora das Neves, que envolve de forma amorosamente singela tão notável devoção.
ORAÇÃO AO SENHOR BOM JESUS
(Basílica do Senhor Bom Jesus de Iguape)
Senhor Bom Jesus, meu divino amigo, amigo de todos, olhai por nós e dai-nos o pão de cada dia, ajudai aqueles que não têm trabalho e nem teto.
Ajudai-nos a ser firmes na fé e na esperança; defendei-nos dos perigos e do pecado; ajudai-nos a vencer as dificuldades que hoje vamos encontrar.
Velai sobre minha família guiando-nos sempre pelo caminho que nos leva até vós. Perdoai-nos, Senhor, e abençoai os nossos desejos para o dia de amanhã.
Senhor Bom Jesus, eu vos ofereço todo o meu dia, meu trabalho, minhas lutas, minhas alegrias e minhas dores.
Concedei a mim e a toda minha família a vossa bênção e uma vida feliz.
Bom Jesus, operário de Nazaré, abençoai a todos nós. Amém.
R E F L E X Õ E S
O mesmo Deus, que manifestou toda a sua glória aos olhos dos Apóstolos no Monte Tabor, é o mesmo que se nos manifesta aos nossos olhos flagelado na imagem do Bom Jesus de Iguape, cuja festa também comemoramos hoje.  O Rei dos reis,  o  ser mais poderoso do Universo, Criador de todas as Coisas, é o mesmo Senhor que, descido do Trono,  se nos faz  agora humilhado, escarnecido e flagelado.  Custa-se a entender que seja a mesma Pessoa. Tudo para nossa salvação, um amor tão extremo que foge à racionalidade humana. Diz-se que nem mesmo os Anjos conseguiram assimilar tamanha loucura por amor aos homens. Como Lhe somos ingratos! Por quê ainda pecamos e vivemos exageradamente preocupados com as coisas que passam?  Fomos comprados por um preço muito alto,  preço que jamais nenhuma criatura será capaz de pagar. Se nos salvarmos, será por misericórdia, jamais por merecimento. Nosso preço é o Sangue de Cristo derramado na Cruz e nós hoje só vivemos aflitos com as nossas dívidas, com nossa casa, com nosso carro e com uma imensidão de futilidades que o mundo nos coloca como importantes. Não nos damos conta de rezar de manhã e à noite? Ouvir a Santa Missa pelo menos aos domingos virou coisa secundária?.
Só há uma coisa importante, cristão! Viver a vida piedosamente, educar os filhos na Santa Doutrina (esta é a verdadeira herança que os pai passam para os filhos),  renunciar ao pecado e preparar-se constantemente para a morte. Daqui a muito pouco tempo nosso corpo tombará na sepultura,  enquanto a alma subirá para prestar contas.
Nós não devemos pertencer à classe do ter, do poder e do prazer. Nem à multidão que, de forma desenfreada, luta às vezes até violentamente em busca de terra e de teto.  Afinal de contas, somos cidadãos do Céu e não da terra, nossa casa não é aqui, estamos a caminho da Pátria Celeste, todos nós, que nos declaramos cristãos e tementes a Deus. Pensemos nisto enquanto estamos sujeitos ao tempo, onde cada precioso minuto que passa, não volta mais. Infeliz do homem que dá ao mundo os seus dias da mocidade, reservando-lhe apenas o fim da vida. Sobre o tempo perdido, bem compreende-se as palavras de Santo Agostinho, quando ainda jovem e recém convertido ao Senhor exclamou: "Quão tarde te amei!".
Sem  a  bênção de Deus nada conseguiremos, é uma circunstância de que não nos lembramos. Sobre nossas dificuldades temporais, nossa  confiança deve estar em Deus, que veste os lírios  do campo e  dá alimento às aves do céu. Procuremos primeiro o reino dos céus e  tudo o mais  nos será dado por acréscimo.
Nosso Senhor Bom Jesus de Iguape, protegei nossas famílias,  afastai-nos do pecado, fazei-nos bons cristãos, faze morada definitiva em nosso coração, socorrei-nos em nossas necessidades, especialmente as espirituais,  e tende piedade de nós!
Fonte: Página Oriente em 2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário